Sexta, 12 de Agosto de 2022
Proibição

Buser é proibida de atuar em Brasília

Sentença do Juiz Federal da 2ª Vara deu ganho de causa a ação movida pela Abrati e vale para viagens com origem ou destino em Brasília. A empresa tem 72 horas para o cumprimento da determinação sob pena de multa de R$ 10 mil reais ao dia. Prazo começa nesta segunda-feira (13/06)

13/06/2022 às 14h40 Atualizada em 14/06/2022 às 08h51
Por: Redação Fonte: Buser
Compartilhe:
Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

A Buser foi proibida de operar com fretamento de ônibus em Brasília em sentença proferida pela 2ª Vara Federal de Brasília na última semana. Na decisão, o juiz federal Anderson Santos da Silva deu ganho de causa a ação movida pela Abrati (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros) e determinou a suspensão da oferta, por suas plataformas digitais, de busca e de venda de passagens em circuito aberto com origem ou destino em Brasília no prazo de 72 horas sob pena de multa de R$ 10 mil reais ao dia.

 

Além de Brasília, os serviços da Buser vêm encontrando obstáculos também em tribunais de outros estados, como é o caso de São Paulo, Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais, que vetaram algumas de suas atividades, fazendo com que a empresa acumule diversas multas por descumprir decisões judiciais.

 

Segundo a advogada Maria Zuleika de Oliveira Rocha é inaceitável que a Buser e suas parceiras continuem desrespeitando decisões judiciais em todo país. “A decisão proferida pelo Juiz Federal da 2ª Vara do Distrito Federal impõe importantes medidas coercitivas para garantir a autoridade das decisões do poder judiciário e o cumprimento das normas regulatórias há anos vigentes”.

 

Para Letícia Pineschi, porta-voz da Abrati, é uma vitória para o setor regular de transporte rodoviário. “Lutamos para preservar a segurança dos passageiros e a organização do sistema de transportes públicos que não pode sofrer qualquer tipo de precarização por conta de serviços que atuam à margem da legalidade”, destaca.

 

Nota à imprensa Buser

 

Maior plataforma de intermediação de viagens rodoviárias do Brasil, a Buser informa que continua operando em Brasília (DF) por meio de sua plataforma digital que oferece diversas modalidades de viagens. A decisão da Justiça, em caráter liminar, proíbe apenas a modalidade de fretamento colaborativo. A liminar está sendo questionada e aguarda julgamento de recurso. É importante ressaltar que o fretamento colaborativo já foi legalmente reconhecido pelas mais altas instâncias do Judiciário brasileiro.

 

Assessoria de Imprensa da Buser

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários