Quarta, 17 de Agosto de 2022
Fique atento

Exame toxicológico periódico: menos acidentes, mais controle e segurança para as empresas

3,6 milhões de usuários de substâncias psicoativas podem não ter renovado a CNH nas categorias C, D e E por conta da obrigatoriedade do exame toxicológico

24/06/2022 às 13h00 Atualizada em 26/06/2022 às 13h33
Por: Redação Fonte: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Lei Federal nº 14.071, que completou um ano em abril de 2022, alterou diversos pontos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entre eles, a determinação de que o condutor habilitado nas categorias C, D e E deve realizar o exame toxicológico periódico a cada dois anos e seis meses, para motoristas com até 69 anos de idade; e a cada renovação da habilitação, para pessoas com 70 anos ou mais. Segundo dados do SOS Estradas, 3,6 milhões de usuários de substâncias psicoativas podem não ter renovado a CNH nas categorias C, D e E por conta da obrigatoriedade do teste.

 

A Dasa Empresas, hub de soluções corporativas da Dasa, maior rede de saúde integrada do país, realiza todos os tipos de exames toxicológicos nos mais de 2 mil postos de coleta em todo Brasil, com entrega de resultados em 72 horas. “No setor de transporte e logística, o cuidado com a saúde e a segurança dos colaboradores é fundamental.

 

O teste toxicológico, além de ser obrigatório para condutores habilitados nas categorias C, D e E (caminhão, ônibus e carretas) incentiva a adoção de uma vida saudável e torna-se cada vez mais importante”, destaca Ricardo Steiman, head de vendas corporate e placement da Dasa Empresas.

 

Leia também:

Exame toxicológico: Você sabe se tem esse exame gratuito?

 

“É um procedimento indolor, realizado a partir da coleta de uma pequena amostra de cabelos, equivalente a espessura de uma caneta, ou por meio de pelos corporais, nas axilas, braços ou pernas”, conclui Steiman.

 

A medida, que tem como objetivo identificar a presença de substâncias psicoativas no organismo, é uma aliada das empresas e motoristas profissionais, contribuindo para evitar acidentes e adicionando mais segurança para passageiros e cargas transportadas. Afinal, de acordo com o mais recente Anuário da Polícia Rodoviária Federal, 4.629 acidentes foram causados pelo consumo de álcool ou de substâncias psicoativas nas rodovias federais no último ano.

 

 

As mudanças mais recentes no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ainda geram dúvidas. Entenda as principais questões a respeito do exame toxicológico:

 

  • O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina motoristas que deixarem o prazo expirar para realização do exame, após os novos limites estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estão sujeitos a penalidade de até R$ 1.467,35 e suspensão do direito de dirigir por três meses, condicionado o levantamento da suspensão à inclusão no RENACH de resultado negativo em novo exame.

 

  • Se o condutor for pego dirigindo caminhões, ônibus, veículos articulados e outros das categorias C, D ou E, e o exame estiver vencido, também poderá sofrer punição. Caso esteja em veículos das categorias, A e B, como motos e carros de passeio, a lei não se aplica.

 

 

  • O uso de drogas ilícitas, como maconha, heroína, cocaína, anfetaminas e outras podem ser detectadas no exame. Alguns analgésicos tendem a dar resultado positivo, como no caso da codeína e da morfina. Caso a pessoa tenha utilizado antes da realização do toxicológico, é fundamental que leve o receituário médico comprovando que o fato se deu por recomendação de um médico.

 

Iniciativa

 

Pensando em auxiliar as organizações, na terça-feira, dia 28 de junho, às 10h, acontecerá o webinar “Segurança nas estradas – Como criar uma cultura de segurança e reduzir acidentes”. Os interessados podem ser inscrever gratuitamente no link https://lnkd.in/eDa2Efvt.

 

O evento on-line, organizado pela Dasa Empresas, discutirá o papel da área de Recursos Humanos na proteção dos colaboradores e de terceiros, enfatizando os desafios dos contratantes e executores de serviços de logística, independentemente dos seus segmentos ou ramos de atuação. O webinar ainda tem como objetivo ajudar as organizações a entenderem a importância e como é realizado o teste toxicológico.

 

Com a moderação de Francesca Bianco, diretora executiva de vendas e novos canais da Dasa Empresas, e Genivaldo Felix, presidente da CNNI Logística, o webinar ainda contará com a participação de Julio Cesar Góis, coordenador de Transportes CCO Road Safety & Efficiency na Raízen.

 

Julio abordará as práticas que garantem a segurança nas operações logísticas. O executivo é responsável pelo monitoramento de performance e segurança de mais de 5 mil motoristas e 2.500 caminhões no Brasil, além de operações fluviais. Também coordena o Rodeio de Caminhões, maior programa de segurança rodoviária do país. 

 

Sobre a Dasa

 

A Dasa é a maior rede de saúde integrada do Brasil. Faz parte da vida de mais de 20 milhões de pessoas por ano, com alta tecnologia, experiência intuitiva e atitude à frente do tempo. Com mais de 50 mil colaboradores e 250 mil médicos parceiros, existe para ser a saúde que as pessoas desejam e que o mundo precisa, estando presente em cada etapa de cuidado.

 

Acredita que para cuidar sempre é preciso cuidar por inteiro. Por isso, olha para a gestão da saúde de um jeito preventivo, preditivo e personalizado. Integra medicina diagnóstica, hospitais, genômica, oncologia, coordenação de cuidado, pronto atendimento, telemedicina, pesquisa clínica e ciência. Ao todo, conta com 15 hospitais referências (considerando rede própria, crescimentos inorgânicos e os deals que ainda estão sob aprovação dos órgãos reguladores), e mais de 59 marcas entre medicina diagnóstica e hospitais, distribuídas em mais de 980 unidades no Brasil.

 

A Dasa garante uma navegação ágil, descomplicada e sem atritos na jornada da saúde, tanto para pacientes quanto para médicos, por meio da sua plataforma de gestão de saúde digital, o Nav. Além disso, oferece soluções integradas e inovadoras de saúde corporativa, por meio do Dasa Empresas.

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários