Terça, 20 de Outubro de 2020 08:17
61 99574-8903
Política & Economia Benefício

Transportadores autônomos solicitam auxílio emergencial e congelamento de divididas

A Fetrabens protocolou ofício no Ministério da Infraestrutura solicitando auxílio de R$ 1.800

01/05/2020 14h13
Por: Redação Fonte: SINDITAC
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Fetrabens - Federação dos Transportadores Autônomos do Estado de São Paulo e os 23 Sindicatos a ela filiados solicitaram auxílio emergencial aos Transportadores Autônomos de Cargas e congelamento das dívidas dos caminhoneiros. O Ofício foi protocolado no mês de abril no Ministério da Infraestrutura, e endereçado ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas e ao senhor Marcello da Costa, Secretário Nacional de Transportes.

No documento, as entidades ainda solicitam um Auxílio Emergencial para os Caminhoneiros justificando que: 

Em decorrência do reconhecimento do estado de calamidade pública no Brasil, a produção dos produtos da cadeia de transporte de cargas foi praticamente reduzida entre 40% a 50%. O que houve nos primeiros 15 dias da quarentena foi o transporte de produtos produzidos e estocados antes do isolamento e que foram já transportados. Agora com o fechamento da produção e comercialização de produtos não há mais cargas para serem transportadas, uma vez que os depósitos se encontram vazios.

E uma das propostas dos transportadores é disponibilizar Auxílio Emergencial para os 556 mil caminhoneiros autônomos no Valor único de R$ 1.800 podendo ser em credito de Combustível no Cartão Petrobras ou Cartão Frete.

Também foi solicitado o congelamento, por seis meses, das dívidas dos caminhoneiros autônomos.

Para a Everaldo Bastos, Diretor da Fetrabens, o congelamento das dívidas refere-se a uma medida excepcional que visa preservar o trabalho do transportador autônomo de cargas, dando-lhe fôlego, pelo período de meio ano, após encerrado o estado de calamidade em nosso país, para os caminhoneiros se recuperarem financeiramente, voltarem a transportar a produção brasileira e ajudar a reerguer a economia nacional. 

A entidade aguarda respostas do Ministério da Infraestrutura.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.