Terça, 24 de Novembro de 2020 01:15
61 99574-8903
Mercado Pequenos negócios

COVID-19: quais são os impactos e tendências nos pequenos negócios?

As médias e pequenas empresas tendem a serem as mais afetadas pelo impacto da pandemia .

26/05/2020 17h40 Atualizada há 6 meses
Por: Redação Fonte: Estadão Conteúdo
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma pesquisa realizada pela FecomercioSP, Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo de São Paulo, analisou o cenário causado pelo novo Coronavírus e constatou que as pequenas e médias empresas tendem a ser as mais prejudicadas com as ressonâncias do isolamento social e a quarentena.

 

 



E é diante de tantas mudanças bruscas que surgem alguns problemas. “As crises são grandes reveladoras da verdade. Elas podem expor pequenos pontos fracos dos negócios. Quando algo não vai bem, tem tempo hábil para ser reparado, mas, durante uma crise, isso não é possível. Precisamos agir e pensar de maneira mais assertiva”, diz Lilian Atanazio, representante de suplementos na Beauty Corpus. 

 



Empreendendo para sobreviver - dentro e fora da crise

 



Lilian é rodeada por empreendedores. A Família Atanazio já atua no ramo da suplementação há três anos - sempre com muito sucesso. Porém, diante da situação atual, Lilian percebeu que existia a necessidade de  se reinventar. “Não queremos sentir os reflexos da crise, mas sim passar por ela ilesos. E o mesmo vale para todos os representantes da marca”, conta. 

 



Por esse motivo, Lilian trouxe uma nova forma de trabalho para todos os vendedores autônomos da marca, que agora, são divulgadores digitais. “Em resposta à COVID-19, empresas estão desenvolvendo seus planos de contingência rapidamente. Algumas adaptam os planos existentes para lidar com esse surto, enquanto outras começam do zero”, comenta. No caso da Empresária Lilian Atanazio, o plano foi criado e implementado em tempo recorde. 

 



Primeiros passos

 



Pensando que conhecimento compartilhado é conhecimento dobrado, Lilian compartilha o que fez para reerguer os negócios, tendo como apoio a tecnologia, e garantir que a crise não seria fator decisivo no sucesso da Beauty Corpus. 

 



“Primeiro, nós investimos no consumidor. Ele tem expectativas que precisam ser atendidas, não importa se isso será online ou offline. Por esse motivo, é importante diversificar produtos e serviços, além de resolver o problema do cliente de forma profunda, mostrando o valor de sua marca”, aponta Lilian. 

 



Além disso, a empreendedora ressalta a importância de realizar um trabalho horizontal e organizado financeiramente. “Todos precisam ter benefícios, assim como responsabilidades. É fundamental ter uma reserva para eventualidades - inclusive, esse item pode ser o diferencial de sucesso de uma corporação, que acaba enfrentando dificuldades com mais facilidade”, recomenda. 

 



Plano final

 



Por último, Lilian ressalta a importância de aproveitar os canais e oportunidades oferecidos pela tecnologia. “Investimos no e-commerce e a resposta foi ótima! Considero que esse foi o pilar que sustentou tudo”. Nos últimos cinquenta dias, a empresária teve mais de 2000 mil pessoas se associando ao seu projeto. Estas, criaram mais de 30 novos pontos  de distribuição por todo Brasil.

 



“Ao abrir uma loja virtual, você contorna as dificuldades do isolamento, uma vez que consegue continuar ofertando produtos e serviços. E é importante ressaltar isso: muitos acham que inovação é algo apenas para empresas grandes, que têm uma área de pesquisa e desenvolvimento. Porém, isso é um engano. Essa inovação pode ser algo básico: mudanças no atendimento, na divulgação, na duração do produto ou até mesmo na entrega. No nosso caso, investimos no mundo digital e estamos felizes com o resultado”, finaliza.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.