Sábado, 31 de Outubro de 2020 22:29
61 99574-8903
Mulheres na Boleia Desafios

Mulher, mãe e esposa, conheça a caminhoneira que teve o incentivo do marido para dirigir caminhão

Simone Carvalho recebeu total apoio do marido, que também é caminhoneiro, para seguir na profissão

30/05/2020 08h18 Atualizada há 5 meses
Por: Camila Pimentel
Mulher, mãe e esposa, conheça a caminhoneira que teve o incentivo do marido para dirigir caminhão

Sensação de liberdade, é com essa frase que a caminhoneira paranaense, Simone Carvalho, define a sua paixão de dirigir caminhão. Tudo começou há 15 anos, quando ao lado do marido Douglas Santos, que também é caminhoneiro, entrou na cabine de um caminhão e começou a andar pelas estradas do Brasil. Desde então o amor só aumentou e ela fazia questão de acompanhar o marido nas viagens.

 

Até que há sete meses, com o apoio e incentivo do marido, conseguiu dirigir o seu caminhão e se tornar uma motorista profissional, e hoje junto com ele trabalha na Transportadora Irmãos Bisolo, no Paraná.

 

 

Sempre emocionada, Simone conta como foi sua primeira vez na estrada sozinha. " Eu sempre dirigia com o meu marido do lado, até que um dia tive que pegar um caminhão na cidade de Nova Mutum-MT e ir até Fortaleza-CE, foi a minha primeira viagem". 

 

Um caminhoneiro largou o caminhão no meio da rota, pois não se identificou com a profissão, e foi aí que Simone agarrou com força a oportunidade. Pegou o caminhão e dirigiu sozinha mais de quatro mil quilômetros até a capital do Ceará.

 

"Eu consegui manobrar e colocar o caminhão na Doca assim que cheguei em Fortaleza e foi um momento mágico. Chorei muito e mandei mensagem para toda minha família e amigos", narrou Simone.

 

E ela complementa " ser caminhoneira é uma felicidade que não cabe dentro de mim. É um sonho realizado".

 

Gostou? Acompanhe essa e outras histórias de nossas guerreiras da estradas (Clicando Aqui)

 

No entanto Simone fala também sobre os desafios da estrada, e de acordo com ela, o principal deles é a infraestrutura, são muitos buracos e assaltos." Por ser mulher me sinto vulnerável, pois há trechos perigosos nessas estradas. Mas sempre rezo e coloco Deus comigo perto de mim". A caminhoneira também reclama e diz que não tem banheiro nos pontos de paradas com infraestrutura adequada para as mulheres.

 

Outro desafio que Simone enfrenta é a distância e a saudade dos filhos Esthefany e Antônio, que ficam com a sogra, na cidade em que moram em Francisco Beltrão-PR, enquanto ela percorre o Brasil. Mas, os filhos entendem a ausência da mãe, sabe que ela está lutando e buscando para alcançar os seus objetivos, para construir uma vida digna ao lado da sua família.

 

Simone sempre teve o apoio incondicional não só do marido, mas também da sua mãe, sogros e irmãos. Ela sempre soube onde queria estar e se sente feliz e realizada na profissão que escolheu.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.