Sexta, 30 de Outubro de 2020 19:55
61 99574-8903
Geral Infraestrutura

DNIT protege animais silvestres com a construção de passagens de fauna nas obras de duplicação da BR-381/MG

Galerias localizadas embaixo do pavimento garantem a migração de espécies nativas da Mata Atlântica e do Cerrado

27/07/2020 07h55
Por: Redação Fonte: DNIT
Foto: DNIT
Foto: DNIT

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) segue com as obras de duplicação da BR-381/MG, em Minas Gerais. Além da construção de equipamentos de travessia segura para pedestres, as equipes da Autarquia montaram espaços para que animais silvestres possam cruzar o fluxo de veículos com segurança. As passagens de fauna, galerias construídas debaixo do pavimento, garantem a migração de espécies nativas da Mata Atlântica e do Cerrado, presentes na região da rodovia federal.

As passagens de fauna servem como corredores seguros para os animais. São 62 estruturas projetadas para o lote 3.1, localizado no acesso a MG-320 até Ribeirão Prainha, e também no lote 7, entre Itabuna a Caeté.

 

Outras 41 estruturas estão distribuídas pelos 28,6 quilômetros do lote 3.1 e 21 pontos de travessias estão projetadas para os 37,8 quilômetros do lote 7. Elas são divididas em passagens inferiores, sob as pistas construídas, em Obras de Arte Especiais (OAEs) - como pontes e viadutos - e aéreas. Essas últimas ainda não foram construídas em nenhum dos trechos.

Além das galerias, as passagens de fauna também recebem a instalação de cercas condutoras, responsáveis por orientar os bichos a seguir para as galerias. Cada espaço construído garante que os animais silvestres que vivem nas matas próximas da rodovia federal tenham como cruzar o fluxo de veículos em segurança, mantendo o equilíbrio ecológico e minimizando o impacto ambiental trazidos pelas obras.

Animais como o veado-catingueiro, graxaim, gato-do-mato, irara, lontra, quati, pomba-galega, saracura-do-mato, entre outros, já usam as galerias para seguir de um lado ao outro das pistas.

Estudos - O local de construção das passagens de fauna seguiu estudos prévios para identificar onde ocorreram o maior número de atropelamentos de animais silvestres, isso antes das obras de construção de pistas e das OAEs começarem. Essas campanhas são mantidas desde o início das obras e, até o fim de 2019, foram realizadas cerca de 40 ações desse tipo.

O trabalho de acompanhamento da eficácia das passagens de fauna é feito pelo DNIT, responsável pelas obras de duplicação na BR-381/MG. A implantação das passagens para animais segue as orientações do Programas de Monitoramentos de Fauna, contido no Plano de Controle Ambiental (PCA) do empreendimento.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.