Domingo, 29 de Novembro de 2020 05:24
61 99574-8903
Mulheres na Boleia Força

Jovem de 24 anos seguiu a tradição familiar e dirige diariamente um caminhão carregado de concreto

Ariela Inouye trabalha na empresa Oterprem e afirma que o desafios são diários

14/11/2020 06h00 Atualizada há 2 semanas
Por: Camila Pimentel
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Jovem e com um futuro promissor, a caminhoneira Ariela Inouye, de apenas 24 anos e de descendência japonesa tem uma trajetória de muita luta, determinação e força de vontade, pois corre atrás dos seus objetivos. Ela nasceu e mora até hoje na cidade de Itapecerica-SP e ao falar sobre o amor por caminhões, afirma que vem de várias gerações de caminhoneiros presentes na sua família. “Meu pai, tios, avós e primos são caminhoneiros. A profissão está presente família e sempre acompanhava meu pai nas viagens, por isso, fui pegando o gosto e o amor pela profissão”, afirmou Ariela.

Atualmente, a caminhoneira trabalha na empresa Oterprem, que produz todo tipo de bloco e pisos de concreto. E com o pai Valdeci Inouye, já aposentado, Ariela garante que recebeu o incentivo dele para seguir na profissão. “A vontade de fazer parte desta geração falou mais alto que qualquer preconceito. Então, decidi me tornar caminhoneira seguindo os passos da minha família, a profissão está no sangue”, garantiu Ariela.

Ela relata o começo da carreira e destaca o empenho em fazer o melhor como caminhoneira. “Tudo começou quando meu pai ficou doente e não pôde mais trabalhar. Ele começou a depender de motoristas para trabalhar pra ele e aí foi quando decidi tirar a minha habilitação. Na época, eu trabalhava em outro emprego, mas um tempo depois fui demitida. Então, decidi ajudar meu pai e trabalhar com ele”, disse a caminhoneira.

Ao relatar sua primeira viagem, Ariela citou o nervosismo. “A minha primeira viagem foi para Capão Redondo, distrito do município de São Paulo, e foi bem tensa, pois senti medo e receio. A adrenalina estava bem alta, mas meu pai sempre ali comigo dando apoio, me ensinando, instruindo e incentivando”.


Sobre os desafios, Ariela ressalta que são diários.  “O tipo de entrega que faço são fretes diários, rodo apenas dentro da minha cidade, faço entrega em obras, carrego blocos e pisos de concreto. Por isso, os desafios sempre estão presente, já que cada obra tem sua forma de descarregar. Tem obra que o espaço para estacionar o caminhão é bem estreito e tem ferragens e resto de entulho no chão. Corremos sempre o risco de perder algum pneu ou até mesmo atolar por conta do barro. A cada dia tenho um novo desafio para superar”, destacou.


Ao falar sobre a família destaca a humildade e o fato de ser filha única. “Venho de uma família muito humilde, onde tive sempre que lutar para a conquistar os meus objetivos. Sou filha única e de pais separados. Não tenho irmãos nem por parte de mãe e nem por parte de pai. Minha mãe é dona de casa e meu pai caminhoneiro aposentado”, disse Ariela.

E para finalizar, Ariela afirma que é feliz na vida que escolheu. Felicidade é algo que está no jeito de falar e na expressão do rosto da caminhoneira. “Pode ter plena certeza que tenho um amor inexplicável por esta profissão. É uma sensação de liberdade que a vida de caminhoneira proporciona, recomendo a todos um dia ter essa experiência que eu tenho diariamente. Sou muito feliz, não me arrependo jamais e foi uma das minhas melhores escolhas. Se pudesse voltar no tempo escolheria novamente ser caminhoneira”, garantiu.

 

E quer saber mais sobre a rotina da Ariela? É só seguir o Instagram @inouyeariela

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.