Sábado, 22 de Janeiro de 2022
Política Descontentes

Caminhoneiros enviarão carta a pré-candidatos à Presidência

Líderes da categoria pedirão apoio a pautas como piso do frete e redução de preço dos combustíveis

15/12/2021 às 10h29
Por: Redação Fonte: Senado
Compartilhe:
Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

Com a frustração de muitos caminhoneiros com o governo Jair Bolsonaro (PL) e o apoio dado em 2018, entidades que representam a categoria decidiram procurar os pré-candidatos à Presidência da República em 2022. Líderes enviarão uma carta apresentando demandas e pedindo que os políticos se posicionem sobre temas como o piso mínimo do frete e a Petrobras.

 

O texto foi discutido neste sábado (11.dez.2021) em reunião realizada por líderes caminhoneiros no Rio Grande do Sul. O documento deve ser concluído ainda hoje, mas alguns defendem que o conteúdo se torne público só depois de ser entregue aos pré-candidatos. Todos os nomes que se apresentam para a corrida eleitoral de 2022 devem ser procurados pelos caminhoneiros:

 

- Bolsonaro (PL) Lula (PT);

- Sergio Moro (Podemos);

- João Doria (PSDB);

- Rodrigo Pacheco (PSD);

- Ciro Gomes (PDT);

- Luiz Henrique Mandetta (DEM);

- Alessandro Vieira (Cidadania);

- Luiz Felipe D’Ávila (Novo);

- Simone Tebet (MDB) e 

- Cabo Daciolo (Brasil 35).

 

Na carta, os caminhoneiros querem abordar temas como piso mínimo de frete, jornada de trabalho, aposentadoria especial, pontos de parada e sobre política de preços e privatização da Petrobras. “Falaremos da Petrobras como um todo, não só dos preços. É a maior empresa pública do país. Não tem como vender e ficar refém do mercado internacional”, disse o diretor da CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística), Carlos Alberto Litti Dahmer. “Pediremos que todos os possíveis candidatos declarem publicamente se apoiam ou não a pauta dos caminhoneiros porque, em 2018, Bolsonaro disse que apoiava e isso não deu em nada”, afirmou o deputado Nereu Crispim (PSL-RS). Ele é coordenador da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Caminhoneiro Autônomo e Celetista no Congresso Nacional. Segundo o deputado, “os caminhoneiros representam 2 milhões de votos que podem ajudar a definir as eleições”.

 

BOLSONARO

 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) também receberá o documento. No entanto, parte da categoria se diz “traída” pelo chefe do Executivo. Bolsonaro declarou apoio aos caminhoneiros em 2018, mas alguns deles dizem que não houve avanço nas principais pautas da categoria ao longo do atual governo.

 

A alta dos combustíveis é uma das principais queixas dos caminhoneiros e foi motivo de diversas tentativas de greve ao longo de 2021. No início de novembro, o governo recorreu à Justiça para barrar a paralisação, pedindo a proibição de bloqueios em rodovias federais e multas para os grevistas. “A maioria dos caminhoneiros fez campanha para Bolsonaro em 2018, mas o resultado produzido por esse governo foi só atraso. Ainda há quem defenda o governo, mas a categoria é muito pulverizada”, disse Litti. “Boa parte da categoria se descolou dele, não tem mais identificação”, afirmou Crispim.

 

CANDIDATOS PRÓPRIOS

 

Além de pedir apoio dos possíveis ocupantes do Palácio do Planalto, os caminhoneiros querem lançar candidatos próprios para o Legislativo. A ideia é ter pelo menos um candidato a deputado federal e um estadual em cada Estado para “marcar posição”, sobretudo na Câmara, que tem bancadas fortes como a do agronegócio e a dos evangélicos.

 

A posição política dos caminhoneiros será discutida ao longo de todo o ano de 2022, por meio de reuniões que serão realizadas em Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná e Pernambuco. O próximo encontro da categoria será em fevereiro em Goiás. Alguns nomes já despontam na corrida eleitoral. Nereu Crispim, por exemplo, concorrerá à reeleição como deputado federal. O presidente do CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas), Plínio Dias, também quer concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados.

 

 

 

Siga o Portal On Truck nas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram e Linkedin. Acompanhe também os nossos vídeos em nosso Canal no Youtube e receba as notícias diárias em nosso Grupo de WhatsApp.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários