Segunda, 08 de Agosto de 2022
Segurança nas Estradas Acidente

Traseira arqueada de caminhão do pai contribui para morte do filho e da nora na BR-116, no PR

Ocorrência envolveu dois caminhões, com traseiras alteradas, e duas carretas. Vítimas fatais são filho e nora de um dos caminhoneiros envolvidos no acidente

15/01/2022 às 09h50
Por: Redação Fonte: Estradas
Compartilhe:
Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

Um engavetamento no km 108 da BR-116, no Contorno Leste, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), envolvendo dois caminhões Mercedes-Benz e duas carretas mataram um homem, de 39 anos, e uma mulher, de 34 anos, na tarde dessa quinta-feira (13), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

Ainda de acordo com a Corporação, o homem – condutor de um dos Mercedes-Benz – e a mulher que morreram no local são o filho e nora do caminhoneiro do outro Mercedes-Benz.

 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o engavetamento ocorreu repentinamente. As causas específicas serão apuradas pela Polícia Civil. Os militares disseram que a concessionária Litoral Sul, responsável pelo trecho, tem câmeras de monitoramento no local que devem ajudar as autoridades a entender o sinistro.

 

Socorristas dos bombeiros também atenderam outra duas pessoas, incluindo o pai e sogro das duas vítimas fatais. Todos tiveram ferimentos leves e recusaram encaminhamento ao hospital.

 

 

Traseira dos Mercedes-Benz alteradas

 

Apesar de existir uma norma que trata do assunto, a modificação na traseira de caminhões tem limites. De acordo com a Resolução Nº 479 de 20 de março de 2014, os veículos de passageiros e de cargas, exceto veículos de duas ou três rodas e quadriciclos, usados, que sofrerem alterações no sistema de suspensão, ficam obrigados a atender aos limites e exigências previstos nesta Resolução, cabendo a cada entidade executora das modificações e ao proprietário do veículo a responsabilidade pelo atendimento às exigências em vigor.

Segundo a PRF, esse tipo de alteração é perigosa, pois transforma o veículo de carga numa espécie de “guilhotina”, principalmente, em situações de colisão traseira, como foi o caso na BR-116.

 

Num vídeo postado no Instagram, em 3 de dezembro passado, Jetro Flores de Mattos (@jetromattos), pai do caminhoneiro Gerson da Silva Mattos, 39 anos, que morreu no engavetamento junto com sua esposa, Patrícia de Abreu, de 34 anos,  mostra a alteração que havia feito na traseira de seu caminhão. Jetro aparece em pé embaixo da traseira do seu caminhão.

 

 

Segundo o coordenador do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto, é preciso aprender com essas tragédias, até em Memória das Vítimas de Trânsito, e banir essa prática que coloca vidas em risco. “Lamentamos pela morte do casal e dor da família, mas que ao menos esse caso sirva para que a fiscalização seja mais rigorosa e não permita a circulação desse tipo de veículo. Infelizmente, milhares de vídeos e fotos são postados diariamente nas mídias sociais com veículos que tem essas alterações“, frisou.

 

O sinistro

 

De acordo com a PRF, o sinistro ocorreu na pista sentido Araucária. Os dois caminhões e as duas carretas colidiram por motivos que serão esclarecidos. O Mercedes-Benz, de cor amarelo, conduzido por Gerson, era o último na fila e o do pai dele, Jetro, um Mercedes-Benz, de cor vermelho, era o penúltimo. Os dois eram conhecidos na estrada como “Pai e Filho” e só viajavam juntos.

 

 

 

Siga o Portal On Truck nas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram e Linkedin. Acompanhe também os nossos vídeos em nosso Canal no Youtube e receba as notícias diárias em nosso Grupo de WhatsApp.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários