Sexta, 12 de Agosto de 2022
Conteúdo de Marca Cobertura Telefonica

Como um bom sinal de telefone e internet faz falta nas rodovias?

Saiba no último tópico uma dica de ouro da On Truck!

14/03/2022 às 09h46 Atualizada em 09/05/2022 às 11h46
Por: Redação Fonte: Conectar Telefonia
Compartilhe:
Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

Fala, pessoal! Beleza?

 

Estamos aqui hoje com mais um assunto sobre o universo das estradas!

 

E o tema é sobre quais os desafios de quem usa a internet nas estradas!

 

Quem trabalha nas rodovias no país está conectado à internet por meio de seu smartphone. Aliás, o mundo hoje está com o seu aparelho eletrônico sempre disponível às mãos. Por outro lado, os motoristas profissionais encontram dificuldades em estar sempre online, seja por falta de sinal, pela péssima qualidade de conexão ou outros problemas.

 

Para esse e outros gargalos, o portal On Truck apresenta o Chip Truck da Conectar Telefonia, que promete ajudar os caminhoneiros com esse que vem sendo uma das grandes dificuldades por esses profissionais.

 

Bora lá saber? Acompanhe o nosso artigo!

 

Aqui você encontra:

 

O perfil dos caminhoneiros que usam a internet nas estradas

 

Em uma pesquisa realizada pelo Retrato do Motorista de Caminhão, realizado pela SK Cia da Informação em parceria com a Revista O Carreteiro, foram ouvidos motoristas de nove Estados das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

 

A faixa etária média é de 43 anos de idade, considerando motoristas autônomos e empregados. O tempo médio de atuação na profissão é de 19 anos, embora 15% dos profissionais estejam na profissão entre 30 e 40 anos.

 

Entre os autônomos, 65% têm CNH categoria E e 71%  disseram estar com o  caminhão quitado; 27% pagam financiamento e 3% trabalham com veículo arrendado. Já entre os empregados, 85% têm CNH categoria E. 

 

Esta pesquisa revelou o quanto a telefonia móvel e a internet tem uma forte presença na vida de praticamente todos os motoristas de caminhão. De acordo com a pesquisa, 95% dos  motoristas entrevistados utilizam smartphone, sendo que 91% acessam a Internet de onde estiverem pela conexão 3G ou 4G.  e a maioria (53%) têm planos pós-pago.

 

Seja autônomo ou empregado, 100% utilizam o WhatsApp para conversar e se comunicar; 83% assistem a vídeos e 69% acessam redes sociais. Na estrada, 46% utilizam redes de Internet dos postos de serviço ou outros locais de paradas. O acesso é maior (90% dos entrevistados) durante as esperas para carga ou descarga. Nos postos de serviço e locais de parada esse índice atinge 89%. Em casa, 61% disseram ter conexão Wi-Fi e 85% visitam  habitualmente as redes sociais.

 

A pesquisa mostrou também que 61% dos motoristas de caminhão acessam portais de notícias, sendo que 44% procuram por assuntos ligados à profissão e ao setor de transporte rodoviário. Já em relação aos aplicativos de frete, 42% confirmaram que utilizam esse recurso para conseguir carga.

 

Como vimos com essa pesquisa, os caminhoneiros estão cada vez mais imersos na transformação digital, usando a ferramenta, inclusive, como prioridade para trabalhar.

 

Falta de sinal nas rodovias prejudica motoristas

 

Hoje em dia, nós temos como aliada a tecnologia que, mesmo distantes, nos faz estar perto de quem mais amamos. Na mesma moeda, temos a internet e todas as infinitas possibilidades com as redes sociais. Por isso, para profissionais como os caminhoneiros, que ficam em longas viagens longe de casa, manter-se conectado vai além de uma distração; torna-se uma necessidade.

 

Para se ter uma ideia, em 2016, a Sontra Cargo, empresa de aplicativo que conecta caminhoneiros a cargas, fez uma pesquisa sobre o perfil do caminhoneiro brasileiro. E, nesse levantamento, uma das questões mostrada é  justamente isso que estamos comentando: que a internet é uma das três principais necessidades nos pontos de paradas, estando abaixo apenas da alimentação (61,7%), estacionamento (49,9%), segurança (27,1%) e serviços mecânicos (22,3%).

 

Como falamos, a ausência de área de celular não é só uma questão de entretenimento, mas, especialmente, quem depende rotineiramente do serviço para resolver questões do trabalho. Seja em um acidente de trânsito ou outra necessidade, o aparelho de telefone celular é item essencial nas estradas. Entretanto, quando problemas acontecem durante viagens em rodovias da região, a comunicação é dificultada pela falta de cobertura adequada das operadoras. 

 

Usuários das rodovias que passam por Juiz de Fora, como MG-353, BR-040 e BR-267, relatam ausência de sinal do celular em trechos longos, muitos sem estabelecimentos que podem servir como outra opção para recorrer à assistência. Entre as obrigações previstas para a telefonia móvel pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a área de abrangência obrigatória engloba apenas distritos sedes dos municípios, representando, ao menos, 80% da área urbana. 

 

O órgão estuda a situação atual da rede de telefonia móvel e pretende estabelecer mais obrigações de cobertura nos municípios brasileiros. Por outro lado, um projeto de lei em tramitação no Senado Federal procura alterar a Lei Geral de Telecomunicações, adicionando a obrigatoriedade do serviço móvel para as rodovias federais e estaduais.

 

As rodovias do Brasil terão sinal de internet futuramente?

 

Até 2029, estima-se que a falta de cobertura de internet irá diminuir após o leilão do 5G — um tipo de tecnologia que é considerado o futuro da humanidade —, principalmente nas rodovias federais, que devem receber o 4G em sua totalidade, de norte a sul.

 

Segundo especialistas, o leilão do 5G vai corrigir um erro do passado, no caso do 3G e 4G, onde os editais sequer previam a instalação da conexão nas rodovias do país. Isso deixou a consequência de cerca de 60% das estradas brasileiras completamente desconectadas, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, causando uma grande desigualdade.

 

A cobertura de 4G, por exemplo, tem 40% de cobertura nas rodovias federais, sendo que alguns estados têm menor cobertura ou muito pouca, e outros têm maior cobertura. Mais de 90% das rodovias próximas ao Distrito Federal possuem cobertura 4G, e mais de 80% das vias no Rio de Janeiro e São Paulo estão conectadas, estados como Rondônia, Mato Grosso, Acre, Pará, Roraima e Amapá possuem menos de 30% de cobertura. A pior situação é registrada no Amazonas, com apenas 4,6% das rodovias recebendo sinal de internet. 

 

Dica On Truck: plano de celular que vai ajudar o amigo caminhoneiro a ficar on-line!

 

A Conectar Telefonia é uma empresa que atua neste ramo de telefonia há 4 anos e está presente em mais de 20 estados. O grande foco da empresa é trabalhar com público específico, para atender o que cada público necessita. Isso permite foco e personalização do atendimento, ou seja, único e exclusivo para cada cliente.

 

Esta semana, a Conectar lançou o Chip Truck, um plano de celular exclusivamente feito para os caminhoneiros. O plano vai funcionar da seguinte forma: operado pela Claro, a mensalidade é de R$ 44,90, com direito a 10 gigas de internet, sem consulta de SPC/SERASA e sem fidelização. Além do mais, os principais aplicativos como Facebook, Instagram, WhatsApp, a rede de jogos on-line Free Fire e aplicativos de GPS como Waze e Google Maps são totalmente ilimitados, ou seja, não serão descontados do plano de internet.

 

Outro fator que deverá ser levado em conta é que a Claro tem a maior velocidade de upload do país, fazendo com que o caminhoneiro possa se manter conectado pelas pistas afora do Brasil. 

 

Você que não quer ficar desconectado pelas rodovias do país, se interessou pelo plano lançado pela Conectar e quer saber mais, você pode acessar o seguinte site:  https://conectartelefonia.com.br/chiptrucklp.

 

Ajuda o portal On Truck enviando este artigo nos grupos de Zap e Facebook!

 

Até mais!

 

 

Siga o Portal On Truck nas redes sociais. Estamos no FacebookInstagram e Linkedin. Acompanhe também os nossos vídeos em nosso Canal no Youtube e receba as notícias diárias em nosso Grupo de WhatsApp.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários