Terça, 24 de Maio de 2022
Startup e Inovação Artigo

5 razões pelas quais você precisa fazer um redirecionamento da rede de entrega agora

Planejamento estratégico de rotas é um processo altamente valioso que pode reduzir os custos do negócio

27/03/2022 às 09h45 Atualizada em 27/03/2022 às 09h57
Por: Redação Fonte: Chris Jones/Descartes
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Apesar do valor da roteirização diária dinâmica, muitas empresas orientadas para a distribuição não podem aproveitá-lo devido à janela de entrega do cliente, motorista ou restrições comerciais. Para otimizar suas operações de entrega, essas companhias se envolvem no desenho estratégico de rotas com pouca frequência ou quando ocorre algum grande evento interno.

 

No mercado competitivo de hoje, a “revisão de 5 anos” é muito longa e as organizações estão perdendo lucros, pois as mudanças nas bases de clientes e nas políticas de serviço estão tornando as rotas mestres ou estáticas existentes ineficientes e com atendimento ao cliente inferior. As tecnologias também evoluíram para tornar o processo de roteamento estratégico mais fácil e ágil.

 

É hora de tratar o planejamento estratégico de rotas como um processo contínuo que mantém as operações de entrega funcionando com eficiência e atendendo aos requisitos mais elevados de atendimento ao cliente de hoje.

 

Por que recalcular uma rede de entrega agora?

 

Veja por que sua empresa precisa de um redirecionamento de rede de entrega agora e ele é um processo de roteamento estratégico contínuo:

 

  1. Sua base de clientes está mudando
  2. Suas políticas de atendimento ao cliente estão mudando
  3. Sua empresa passou por uma fusão
  4. Sua empresa quer saber o potencial impacto de:
    • Mudanças de localização e capacidade do centro de distribuição
    • Horários dos motoristas e mudanças no plano de compensação
    • Novos modelos de negócios e serviços de entrega
    • Novas opções de ativos de entrega
    • Possíveis aquisições
  5. Existem oscilações de volume significativas durante o ano

 

Se você é uma empresa orientada para a distribuição e nenhuma dessas coisas aconteceu nos últimos 5 anos, então seu negócio deve estar congelado no tempo -- ou morto-vivo. Não requer muita mudança para descartar um plano de rota mestre. Em vez disso, o ambiente de negócios atual mostra que os redirecionamentos precisam acontecer com muito mais frequência, fazer parte do processo de avaliação da estratégia da empresa e até mesmo impactar as decisões de roteamento táticas e operacionais.

 

Por exemplo, as organizações estão mudando suas estratégias de entrega com base em estações de alta e baixa, ou mesmo no clima para melhor atender os clientes e manter seus custos em linha.

 

Então, por que as empresas não realizam redirecionamentos ou possuem processos de roteamento estratégicos? Para a maioria, os redirecionamentos são um exercício doloroso e demorado. Os dados estão bagunçados, eles não possuem as habilidades e as ferramentas eram muito complicadas ou pior, eles tentam fazer isso em uma planilha e lutam para obter respostas melhores do que as que têm atualmente.

 

Duas principais mudanças tecnológicas

 

Existem duas mudanças tecnológicas principais que tornam o planejamento estratégico de rotas mais fácil de executar e mais dinâmico.

 

  • Rastreamento móvel baseado em GPS. Sim, o rastreamento móvel é fundamental para obter dados de rota precisos e saber como sua frota está operando. Devido a mudanças nos negócios, seus expedidores e motoristas não estão executando suas antigas rotas principais conforme o planejado. Eles estão trabalhando em torno deles e você não tem ideia de quão longe seus planos existentes estão em relação à realidade. O rastreamento por GPS fornecerá os dados precisos para entender como as rotas são executadas, os tempos de parada, etc. Muitas das informações necessárias para preencher uma solução de planejamento estratégico de rotas virão dos dados do GPS.

 

  • Otimização de rota. As limitações tradicionais da tecnologia de otimização forçaram os planejadores estratégicos de rotas a adotar a seguinte abordagem de 4 etapas: “cortar territórios”, “atribuir frequências de visita”, “criar rotas” e “revisar os resultados e fazer alterações”. Esse processo tedioso tornou o exercício de planejamento estratégico de rotas complexo. Isso ocorre porque o território, a frequência e a configuração da rota estão todos interligados. Com a otimização de rota, todos os três são considerados ao mesmo tempo, ajudando a garantir melhores resultados, reduzindo a complexidade e as habilidades necessárias e diminuindo o tempo de planejamento.

 

O planejamento estratégico de rotas é um processo altamente valioso que pode reduzir os custos do negócio, definir a rede para melhor atender os clientes e compreender completamente as implicações de possíveis mudanças na rede de distribuição antes de serem implementadas. Em vez de uma abordagem que utiliza apenas o planejamento estratégico de rotas ocasionalmente, ela precisa ser implantada regularmente e como parte integrante do processo geral de desenvolvimento da estratégia de negócios.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários