Domingo, 29 de Maio de 2022
Mulheres na Boleia Retorno

Pós acidente: Musa dos caminhoneiros conta se voltará as estradas

Aline Füchter passará pois mais duas cirurgias plásticas no rosto após sofrer grave acidente que quase tirou sua vida

28/03/2022 às 09h34 Atualizada em 28/03/2022 às 17h25
Por: Redação Fonte: UOL
Compartilhe:
Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

A caminhoneira youtuber Aline Füchter, conhecida por seu canal com mais de 1,5 milhão de seguidores, compartilha um pouco de como tem sido a sua vida após o acidente que quase tirou a sua vida em janeiro, na BR-174, no Mato Grosso. Além de uma grande cicatriz no rosto, onde fez uma cirurgia de reconstrução, a influenciadora ainda não consegue andar nem mexer a mão esquerda - apesar das dificuldades a influenciadora confia que voltará às estradas. 

 

Para Aline, o grande "trunfo" para que voltar a dirigir caminhão é o fato de não lembrar nada que aconteceu após o primeiro impacto do acidente. Ela também ficou famosa como a "Musa dos Caminhoneiros" durante paralisação da categoria, em 2018.

 

• Compartilhe essa notícia no WhatsApp

• Compartilhe essa notícia no Telegram

 

"Quando aconteceu, eu estava a 64 km/h. Uma peça se soltou de um caminhão na pista contrária e explodiu o meu pneu. Naquele momento, eu não pude fazer nada. Quando meu caminhão bateu a primeira vez, eu apaguei. Não me lembro de nada do acidente, por isso não fiquei traumatizada".

 

A primeira lembrança que ela tem após o acidente é de cinco dias depois, quando acordou no hospital, após a primeira cirurgia na perna. Depois disso, Aline já operou o braço e o rosto, que ficou desfigurado. Segundo ela, serão necessários, ainda, dois procedimentos cirúrgicos: um para tratar a cicatriz do rosto e outro para enxertar gordura em determinados pontos da face.

 

Apesar do medo de passar por um novo acidente, ficar longe do ofício de vida de caminhoneira nunca passou pela cabeça de Aline. "Nas primeiras viagens, vou ficar com medo quando cruzar com outros caminhões, mas a gente tem que seguir em frente. Eu amo a estrada, estou muito chateada de ficar em casa", argumenta.

 

A influenciadora diz que rodava cerca de 8 mil quilômetros a cada 15 dias e, assim que estiver recuperada, espera retornar com foco maior na segurança. "Depois do acidente, mudei algumas ideias, como pegar estradas ruins para economizar o pedágio".

 

 

Füchter também pretende instalar câmeras para que, em uma situação como a que vivenciou, consiga identificar o caminhão que provocou o acidente.

 

Aline Füchter possui dois caminhões em sua transportadora, mas também diz ter uma boa renda como influenciadora. Além de campanhas de publicidade, de acordo com o site "SocialBlade", que quantifica a remuneração recebida por influenciadores do YouTube, o canal com mais de 1,5 milhão de seguidores rende, no mínimo, US$ 4,1 mil por mês (cerca de R$ 20 mil).

 

O acidente aconteceu no dia 13 de janeiro, na BR-174, em Mato Grosso. Aline estava conduzindo o seu caminhão Scania R480 quando foi surpreendida por uma peça que se soltou de outro veículo de carga, trafegando no sentido contrário. Segundo a caminhoneira, a peça atingiu seu pneu dianteiro esquerdo, que estourou e fez com que ela perdesse a direção e atingisse a gaiola de um outro caminhão.

 

Na ocasião, ela estava acompanhada de sua amiga Lauren Matheus, que não precisou ficar hospitalizada, e de sua cachorra Belinha, que também sobreviveu sem ferimentos graves. Ela também afirma que, mesmo com anos de estrada, nunca imaginou passar por uma situação como essa.

 

"Deus me guardou em uma caixinha bem pequenininha. Para vocês verem, não temos noção nem de onde foi parar o volante do caminhão. Deus ficou comigo para não eu morrer, porque o negócio foi feio", diz a Füchter.

 

 

Receba as notícias e vagas diárias em nosso Canal no Telegram [CLIQUE AQUI]

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários