Sexta, 20 de Maio de 2022
Economia Goiás

Passagem do transporte coletivo de Goiânia não terá aumento

O anúncio foi durante a apresentação do Bilhete Único, que começa a valer neste sábado (02). Governo estadual e prefeituras da região metropolitana de Goiânia vão assegurar subsídio para que tarifa permaneça em R$ 4,30. Só em 2022, poder público vai arcar

02/04/2022 às 10h59
Por: Redação Fonte: Secom Goiás
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás

O governador Ronaldo Caiado garantiu nesta sexta-feira (1º) que a passagem do transporte coletivo de Goiânia e dos municípios da região Metropolitana da Capital não terá aumento e será mantida em R$ 4,30. O anúncio foi feito durante a apresentação do Bilhete Único, que começa a valer a partir deste sábado (02/04).

Caiado explicou durante coletiva à imprensa que a atual conjuntura não permite reajuste. “Estamos fazendo com que neste momento difícil os usuários possam ter o preço mantido do transporte coletivo em R$ 4,30. A passagem seria de R$ 7,26, mas estamos dando um subsídio de R$ 2,96, que é um valor substantivo, importante”, afirmou. A previsão é que o Poder Público custeie em 2022 com cerca de R$ 72 milhões para que o aumento não seja repassado ao cidadão.

Segundo o chefe do Executivo, nenhum Estado da federação adota essa estratégia. “Tivemos coragem de apresentar projeto na Assembleia Legislativa, fazer mudanças substantivas e entrar com orçamento do Estado e das prefeituras para arcar com os valores para que o usuário não seja penalizado. Ou seja, não estamos colocando a mão no bolso do cidadão”, salientou Caiado.

O presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM) e prefeito de Goianira, Carlão da Fox, elogiou a conduta do governador Ronaldo Caiado, que mais uma vez demonstra comprometimento em ajudar. “O senhor assumiu uma conta que não era do governo. Está nos ajudando, pagando diretamente pelos municípios. Precisamos agradecer porque essas mudanças são muito importantes e vão impactar bastante a qualidade de vida da nossa população”, observou.

A decisão sobre não promover o reajuste foi definida em reunião do colegiado da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) no início do mês de março. “Fizemos a primeira deliberação no sentido de garantir que não haverá reajuste tarifário para o usuário”, afirmou o secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima. “E nós lançaremos diversos produtos que virão progressivamente ao longo do ano”, completou.

Novos serviços
O Bilhete Único é um dos produtos que compõem os serviços que serão implementados progressivamente, mês a mês, em toda a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) e que se baseiam na mobilidade como serviço, ou MaaS (Mobility as a Service). As novidades chegam com base na Tarifação Flexível, nova política pública elaborada para o transporte público na Capital e região Metropolitana.

A medida permitirá a criação de diversos serviços tarifários, como o Cartão Assinatura (vale transporte adquirido por empresas); Cartão Família (valor único para utilização pelo titular e mais quatro pessoas cadastradas); tarifas com validade estendida como Bilhete um Dia e Bilhete uma semana; Cartão Pós-pago (gastos enviados via fatura) e Bilhete Meia Tarifa (válido para percursos de até 5 km).

Foto: Lucas Diener

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários