Sábado, 21 de Maio de 2022
Artigos Fique Por Dentro

Estoques: o que é, os 5 tipos e a sua importância

Mais um conteúdo a respeito do ramo de logística!

13/04/2022 às 09h46
Por: Redação Fonte: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fala, pessoal! Beleza?

 

Estamos aqui hoje com mais um assunto sobre o universo das estradas!

 

A gente já trouxe vários assuntos a respeito do setor de logística. E desta vez, preparamos mais um artigo com sobre os tipos de estoques.

 

Acreditamos que você deve saber disso por vários motivos:  

 

- Se você é um motorista profissional, garantirá destaque e autoridade entre os contratantes!

- Se é um funcionário de uma empresa de logística, poderá procurar ganhar uma promoção com os superiores!

- Agora, se é um empresário ou um gestor, saberá como gerir melhor na empresa que atua!

 

Ficou curioso? Então, bora lá saber mais?

 

Aqui você encontra:

 

O que é um estoque, afinal?

 

Refere-se à guarda permanente ou temporária de matérias-primas, produtos semiacabados ou, até mesmo, mercadorias prontas para o consumo. O estoque está presente em diversas atividades, desde indústrias até lojas de varejo.

 

Resumidamente é um espaço composto por matérias-primas ou produtos. O termo estocagem é a ação de acumular itens em lugar, que pode conter, por exemplo:

 

- Produtos prontos para serem vendidos ao consumidor final;

- Matéria-prima a ser empregada em um processo produtivo;

- Mercadorias para serem distribuídas entre diversas filiais.

 

Para que você entenda de uma vez por todas: quando falamos em estoque estamos referindo aos produtos que estão guardados.

 

Qual a importância que isso tem? É o que você vai ver no próximo tópico!

 

Importância dos estoques

 

O estoque está presente em todo o processo produtivo de uma empresa. Desde a compra da matéria-prima até a disponibilização do produto para a venda. 

 

Para que isso aconteça de maneira efetiva, é preciso gerir os itens com eficiência. Ou seja, a empresa de logística precisa investir tanto em pessoal qualificado quanto em sistemas de otimização.

 

A depender do segmento de atuação do negócio — varejo, distribuidor ou indústria —, o modelo de gestão pode apresentar diversas características e práticas de controle.

 

Para que toda a cadeia de suprimentos funcione adequadamente, sem faltas e excessos, é importante conhecer os diversos tipos de estoque e direcionar a gestão de mercadorias sempre pelo consumidor final, a partir do monitoramento de indicadores de estoque e vendas e com o auxílio de soluções tecnológicas de reposição de estoque.

 

5 tipos de estoques

 

Hoje em dia, com o sistema de delivery em alta, estamos comprando cada vez mais pela internet, não é verdade?

 

E quando falta algum produto em determinada loja on-line, nós, automaticamente, procuramos outro site com o mesmo produto que desejamos. 

 

E aí que mora dois problemas que podem gerar prejuízos à empresa: 

 

  1. A falta do produto em estoque, fazendo o consumidor procurar a concorrência;

  2. O extremo oposto: o excesso de estoque, que, também, acarreta em perdas, uma vez que os produtos podem se tornar obsoletos, aumentando o capital parado.

 

Assim sendo, é essencial escolher o tipo de estoque mais adequado à empresa que irá investir nesse negócio. Não adianta optar pelo estoque máximo para pagar mais barato a unidade se a procura está em queda, concorda?

 

E é pensando nisso que vamos te mostrar 5 tipos de estoques!

 

1) Estoque de antecipação: também chamado de estoque sazonal, ele é utilizado para atender uma previsão de alta demanda de saída dos produtos e que exija maior produção e rapidez na entrega das mercadorias. O estoque de antecipação é ideal para empresas que trabalham com produtos que vendem mais em datas comemorativas, como o Dia das Mães e o Natal, por exemplo. Portanto, se sua empresa trabalha com produtos sazonais, é importante garantir um estoque de antecipação nos períodos de alta nas vendas.

 

 

2) Estoque de ciclo: este é adequado para empresas que possuem uma alta variedade de produtos, mas não conseguem viabilizar a produção de todos ao mesmo tempo. Nesse caso, a empresa deve garantir rotatividade na fabricação para que não haja falta de nenhum tipo de mercadoria no estoque. Esse é um dos grandes motivos para se investir no estoque de ciclo. Por meio dele, a produção e o planejamento de estoque são organizados em períodos determinados e, assim, conseguem atender às demandas do mercado integralmente.

 

 

3) Estoque máximo: esse trabalha na perspectiva da quantidade máxima de produtos armazenados em um determinado período. O seu cálculo deve considerar o limite mais alto para a venda de mercadorias, evitando a falta de produtos para suprir as demandas dos consumidores. Empresas que possuem alta saída para um determinado produto podem adotar o modelo de estoque máximo. Contudo, é preciso ficar atento para que não haja um excesso muito alto de produtos em estoque, uma vez que pode gerar prejuízos financeiros e materiais.

 

 

4) Estoque mínimo: ao contrário do estoque máximo, o estoque mínimo está ligado à menor quantidade de um item em estoque. Esse tipo de estoque também é conhecido como “ponto de ressuprimento”, já que o grande objetivo é conhecer o momento ideal para repor o produto e evitar grande quantidade de mercadorias paradas. Empresas que trabalham com produtos perecíveis ou que saem em pequenas quantidades são boas candidatas a este modelo.

 

 

5) Estoque de proteção: um dos tipos de estoque mais utilizados nos setores automobilístico e alimentício, visa proteger as vendas e garantir a disponibilidade dos produtos mesmo em situações pouco favoráveis. Caso ocorra greve no setor de transportes ou alta inesperada nas demandas do mercado, por exemplo, o estoque de proteção garante que a entrega de mercadorias não seja comprometida.

 

 

A importância de um gerenciamento de estoque para empresas

 

Além de conhecer os diferentes tipos de estoque, é importante identificar formas de realizar um bom gerenciamento. A seguir, apontamos algumas dicas que podem ser úteis:

 

- Faça uma contabilização do inventário eficiente;

- Trabalhe com softwares específicos para gestão de estoque e automatização;

- Defina um período para a realização da verificação do estoque;

- Tenha um controle impecável de entrada e saída de produtos do estoque;

- Acompanhe os níveis de estoque e periodicidade de vendas, para definir as melhores datas para compras de itens;

- Observe o histórico de movimentação de produtos da sua empresa;

- Prepare-se para os momentos de aumento de demanda;

- Mantenha o controle adequado dos produtos perecíveis do seu negócio;

- Determine as pessoas responsáveis por cada etapa do controle – e suas respectivas responsabilidades;

- Saiba negociar com os fornecedores;

- Se for preciso, realize a queima de estoque para equilibrar o armazém;

- Treine os colaboradores para as melhores práticas de controle de armazém;

- Estude sobre os tipos de controle de estoque que podem ser realizados;

- Defina uma margem de perdas e danos;

- Tenha controle do custo de armazenamento e verifique como otimizar essas questões;

- Crie padrões e regras para as operações realizadas dentro do galpão;

- Seja rígido no controle de inventários de estoque;

- Organize o layout de estoque, para facilitar o acesso aos produtos;

- Elabore relatórios de gestão de estoque;

- Implemente uma política de melhoria contínua em seu negócio.

 

Seguindo essas dicas, é possível ter uma melhora considerável na gestão de estoque. Minimizando falhas que possam ocorrer, tornando os processos mais eficientes ao longo do tempo.

 

E para concluir: devo investir em gestão de estoque?

 

Chegando até aqui, você aprendeu quais são os fatores e a importância do estoque; além de saber os diferentes tipos deles e para que cada um serve.

 

Sendo assim, você entendeu que os tipos de estoque são fundamentais para garantir uma gestão eficiente desde o momento em que a mercadoria chega ao estoque até o momento em que ela sai para o destino final. 

 

E é justamente esse controle que contribui para que todos os produtos estejam sempre disponíveis, permitindo que a empresa aproveite todas as oportunidades de crescimento oferecidas pelo mercado.

 

Nesse contexto, a gestão de estoque exerce um papel de extrema importância para qualquer empresa, pois ajuda a alcançar o estoque ideal, sem faltas e excessos e de acordo com a demanda do consumidor. A gestão de estoque exerce um papel crucial para qualquer empreendimento.

 

Em outras palavras, para que se consiga manter a disponibilidade de produtos nas prateleiras, é indispensável que o negócio conte com um estoque organizado, completo e que leve em consideração a orientação pelo sell-out, ou seja, a venda ao consumidor final, já que é ele quem dita o ritmo de toda a cadeia: da produção à distribuição.

 

Vale frisar que sua utilização leva em consideração inúmeros fatores, como o tipo de produto e a própria infraestrutura da empresa. Mas que, independente do modelo, é importante sempre orientar os processos pelas vendas ao consumidor final.

 

Sem dúvida, o primeiro passo para se alcançar resultados positivos com a gestão de estoque é conhecer a realidade do negócio e as opções à sua disposição.

 

E aí, o que achou deste conteúdo que o portal On Truck preparou para você?

 

Então que tal você enviar para os grupos de Zap e Facebook da rapaziada? Assim, mais pessoas saberão a respeito deste assunto!

 

Até a próxima!

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários